Nunca houve razões para crer que algum dia
O seu sorriso viesse de um sangue frio
Busquei alguma chama por dentro desse peito
Era tão sombrio e vazio.

Já ouvi histórias de tantos amigos
Quem viveram esse sentimento doentio
Sempre assustados, limitados e sem tempo
Nada era feito sem consentimento.

Eu ria, eu me irritava
Quando teriam um tempo para nossa diversão?
Eram mandados e monitorados dos pés à cabeça
Maldita e Inacreditável possessão.

Agora tudo isso acontece comigo
Só que por aqui não acaba bem
O amor é para tolos
E, eu sei, sou um tolo também.

E se sou um tolo,
Sou esperto pra raciocinar
Que se aqui não vejo amor
Não tenho a quem me declarar.

História sem fim de um amor envolvente
Plastificado tão bem para encantar apenas o vento
Ninguém conta pra quem está lá fora
Ninguém do lado de fora conhece aqui dentro.

O que de sua parte não se compreende
Que tuas mãos, minha mente jamais controlará
Vá, dê-me um último beijo
É aqui que nosso desejo se cessará.

Essa psicose nunca foi pra mim, meu amor
Nem tente me intimidar com seus olhos vermelhos
Somos jovens demais para juntos morrermos
Somos imaturos demais para juntos envelhecermos.

Rabisque abaixo

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s