Caramba! Quanto tempo já se passou, não é mesmo? Parece que meus dias têm se tornado mais longos ao decorrer do ano. É estranho voltar a essa vida, agora tão sem graça sem sua companhia.

Ainda me lembro de como nos conhecemos. Numa pequena loja, onde curtia um som, você surgiu com sua educação inconfundível. Também queria saber o que eu escutava e pediu algumas dicas. E aí, começamos a conversar e descobrimos tantos gostos em comum.

O tempo foi passando e nossa amizade crescendo. Nossas caminhadas, nossas viagens, os passeios noturnos pela cidade, até as jogatinas viradas pelas madrugadas. Recordações que sempre vou guardar com tanto carinho.

Tivemos tão grande amizade que adotei sua família como minha e você, a minha como sua. Irmãos, como nos considerávamos. Era mais que impossível não estarmos juntos, era inadmissível. Aprendemos com nossas fraquezas, nossos gostos, nossa imaturidade.

E o quanto aprendi? Você sempre pareceu alguém que decidiu cuidar tanto de mim, como um irmão mais velho. Parecia que eu era sempre aquele descuidado que não me importava com nada e você brigava comigo por isso.

“É isso o que você quer por toda a sua vida? Você precisa crescer, amadurecer, enfrentar o mundo. Desperte, levante e caminhe! Você tem uma viagem inteira para enfrentar” – Eis suas palavras, que tanto me intimidavam, mas me faziam perceber o quanto isso era importante para mim.

E agora, o que me restam são suas palavras e a doce saudade. Tempos que não voltam, eu sei. Não preciso que ninguém me diga. Ainda tive um momento de esperança, mas por que deveria? Demorou um tempo para acreditar que você havia ido embora para sempre. Olho nossas fotos e choro. É assim que o destino decidiu e assim foi feito. Não há como fugir.

Só uma coisa: Espero que, onde quer que esteja, jamais se esqueça de mim. Um dia nos encontraremos para contarmos um ao outro todas as aventuras que não tivemos juntos. Estaremos num lugar melhor sorrindo por estarmos juntos novamente e chorando por termos tanto a nos recordar. Demorará tanto, que serei incapaz de contar e conter minha ansiedade, mas algum dia, algum dia, que ainda nos resta esperança, estaremos juntos. Juntos novamente.

Até lá, deixo meu muito obrigado. Obrigado, meu irmão, por ter ficado comigo por todo esse tempo. Espero que esteja bem.

Rabisque abaixo

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s