De todos os males profundo
Vivo aquele que me faz sentir melhor
Pois crio um vasto mundo
Em que me faço maior.

De todos os lugares do mundo
Nado em mares tão rasos e tão profundos
Pois em meus próprios pensamentos
Sou capaz de criar meu mundo.

De tantas belas criaturas
Personagens, histórias e magias faço vida
Com palavras de um distinto adulto
Mas pelos olhos de uma criança ainda não crescida.

Deste mundo que crio ao me sentar
Deste mundo que de mim não só faz imaginar
De todo um mundo que dou asas a voar

Sou rei, sou plebeu, sou príncipe, sou Romeu.
Sou bicho, sou gente, sou árvore, sou mente.
Sou tudo, sou eu.

O mal do poeta é ter um mundo
Um mundo só seu
Um mundo que não existe
Mas um mundo que lhe pertenceu.

Rabisque abaixo

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s